30 julho 2007

Dez coisas que adoramos na Microsoft
Por Redação de PC WORLD
30-07-2007

Por um erro de tradução, trecho que fala sobre 'software de código livre' atribui ação equivocada a Linus Torvalds
Em reportagem publicada no último dia 30/07 - Dez coisas de adoramos na Microsoft, um erro de tradução atribui uma ação equivocada a Linus Torvalds.
Leia abaixo o texto correto:
Software de código livreEis um grande motivo para amar a Microsoft: se não fosse por ela, talvez o movimento pelo código livre não existisse. Se a empresa de Redmond não se esforçasse tanto em erradicar com qualquer browser que não seu Internet Explorer, possivelmente não teríamos o Firefox hoje. Se Linus Torvalds tivesse experimentado o código fonte do Windows e o customizado como quisesse, talvez nunca tivesse criado o kernel Linux. Ironicamente, conseguimos acesso a muitos programas gratuitos porque a Microsoft constantemente nos deixa insatisfeitos.
Queda nas tarifas e no preço dos aparelhos impulsiona mercado de celular na Índia
Receita com serviços irá saltar de 8,95 bilhões de dólares para 25,6 bilhões até 20100, de acordo com o Gartner Group.

Por COMPUTERWORLD
30 de julho de 2007 - 09h30
A Índia vai se tornar o país de crescimento mais rápido de sua região em telefonia móvel, atrás apenas da China, diante de uma tendência que reúne queda nas tarifas e oferta de aparelhos mais baratos, segundo um estudo divulgado pelo Gartner Group.
A tarifa média pelas chamadas naquele país caiu para 2,6 centavos de dólar por minuto, mas ainda é considerado alto quando comparado à tarifa de telefonia fixa: 0,9 centavos de dólar, o que leva o Gartner a prever novas reduções nos próximos anos. Já a oferta de aparelhos tem se beneficiado da estratégia dos fabricantes de lançar modelos abaixo de 25 dólares.
Por isso, a pesquisa estima que a receita com serviços móveis na Índia, que em 2006 foi de 8,95 bilhões de dólares, chegue a 25,61 bilhões de dólares em 2011, com um crescimento anual médio de 18,4%. O tráfego de dados representará 22% desse valor em 2011, contra os 9,6% registrados em 2006.
Dessa forma, o número de celulares em cada 100 habitantes, que em 2006 foi de 12,7, deverá alcançar 38,6 em 2011, projeta o Gartner. Hoje o índice de penetração nas áreas rurais, por exemplo, é de 2%. Naquele ano, o instituto acredita que 58% da população rural e 95% da população urbana estarão cobertas por conexões móveis.
Assim como no Brasil, a maior parte de usuários de celular na Índia utiliza o modelo pré-pago (84%), número que deve chegar a 93% em 2011, segundo a pesquisa.
Com o acirramento da competição, o Gartner acredita que só a licitação de terceira geração vai ajudar as operadoras indianas a lidar com a equação entre baixas tarifas de voz e preço de aparelhos subsidiados e, assim, trazer crescimento sustentado a essa indústria. No Brasil,
tal leilão deve acontecer até o final deste ano.
Investimento de US$ 2,2 milhões
feito no ano passado possibilitou a construção de um novo prédio e o desenvolvimento de projetos voltados à comunidade Linux
A IBM Brasil anuncia os resultados obtidos com o investimento de US$ 2,2 milhões feito no ano passado no seu Centro de Tecnologia Linux (LTC). A empresa obteve o registro de 6 patentes na área de Linux em processador Cell, contribuindo para a inovação, pesquisa e desenvolvimento em Open Standard; e desenvolveu dois grandes projetos:
- Versão 2 do IBM Instalation Toolkit for Linux on Power: kit de instalação do sistema operacional Linux em servidores de arquitetura Power. A versão 2 permite a instalação do Linux remotamente, pela rede, e possui novas funcionalidades, como ferramenta de atualização de firmware e particionamento de disco.
- Versão 2.1 do SDK: ferramenta de desenvolvimento de aplicações para Linux em processador Cell. Este desenvolvimento foi feito em parceria com os LTCs de Austin, nos Estados Unidos, e de Boeblingen, na Alemanha.
Ambas as versões estão disponíveis no Portal de Tecnologia da IBM DeveloperWorks: www-03.ibm.com/developerworks.
Além destes projetos, o LTC Brasil também desenvolveu recentemente: o Bugzilla, ferramenta que registra falhas de programas; o IIOSB, ferramenta de código aberto à comunidade de software com a mesma característica que funciona como portal para hospedar projetos de plataforma aberta; e uma terceira ferramenta, para controle de qualidade na detecção de erros de programas.
Maior colaboração entre IBM e Unicamp
O primeiro Centro de Tecnologia Linux brasileiro foi construído no campus da Unicamp, em 2004. Como parte de uma parceria entre a universidade e a IBM, pesquisadores da Unicamp colaboram com os cientistas em computação da IBM no Brasil para ajudar a treinar os recém-graduados no Instituto de Computação da universidade. A IBM, por sua vez, contribui com equipamentos e softwares para laboratórios, bolsas de estudo para alunos e com profissionais para ajudar a gerenciar o desenvolvimento dos projetos.
Este ano, a IBM passou a contribuir com a realização de workshops para alunos da Unicamp, nos quais traz profissionais de fora para apresentar temas relacionados ao Kernel de Linux e Linux em plataforma Cell e Power. Já foram realizados 4 workshops.
Projetos em andamento
A equipe do LTC Brasil pretende continuar a concentrar seu foco em três grandes áreas: desenvolvimento de Linux para Plataforma Power, Cell e na infra-estrutura e testes do LTC. Hoje, estão trabalhando no desenvolvimento de ferramentas GDB e Frysk para correção de falhas em Linux e na construção de builds (distribuições Linux certificadas em equipamentos IBM) para plataforma Power 6. Esta plataforma acaba de ser anunciada pela IBM.
O LTC
O Centro de Tecnologia Linux da IBM é uma organização mundial com equipes em aproximadamente 40 localidades e sua expansão inclui o Centro de Integração Linux da IBM, os Centros de Inovação Linux da IBM e os Centros de Competência Linux da IBM, que ajudam os clientes a converter aplicativos para uso do padrão aberto.
No Brasil, o LTC aumentou sua força de trabalho em quase 400% nos últimos meses. Em janeiro de 2006 o LTC Brasil tinha 12 funcionários e, hoje, conta com 59 profissionais. O novo prédio, erguido em 2006, agora hospeda e monitora os equipamentos de infra-estrutura que atendem os LTCs de todo o mundo - sistema que antes era monitorado pelas unidades da Índia e EUA. Com isto, o LTC da IBM Brasil se mantém como um dos cinco maiores centros de desenvolvimento do sistema Linux em todo o mundo.
EURO
A moeda única europeia valorizava, a beneficiar da recuperação verificada nos mercados bolsistas, que está a atrair os investidores para activos mais arriscados.
O euro
[Cot] avançava 0,31% para os 1,3676 dólares.
A divisa da Zona Euro subia depois das acções asiáticas e europeias terem registado valorizações.
"Os mercados estão claramente a fazer uma nova avaliação do risco" afirmou à Bloomberg Mitul Kotecha, estratega cambial da Calyon. "Depois de um recuo uma apreciação pode ser possível", adiantou.
Esta semana será marcada pela reunião, não presencial, dos governadores do Banco Central Europeu (BCE). Apesar de não se esperar qualquer alteração da taxa de juro de referência para a Zona Euro, o mercado está expectante em relação ao discurso usado pelos responsáveis.
O BCE deverá emitir um comunicado a dar conhecimento das conclusões da reunião dos governadores. A taxa de juro deverá manter-se nos 4%.
Bovespa segue turbulência global e cai quase 4%
SÃO PAULO (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo voltou a cair quase 4 por cento nesta quinta-feira, apagando o ganho do mês. O aumento da aversão a risco no mundo provocou forte movimento de vendas de ações.
O principal indicador da bolsa paulista encerrou em baixa de 3,76 por cento nesta sessão, a 53.893 pontos. Nenhum dos 59 papéis do Ibovespa subiu. Na mínima do dia, o índice chegou a cair 6 por cento.
A queda desta quinta-feira reduziu o ganho em 2007 a 21,2 por cento e fez a bolsa entrar no vermelho no mês. Até segunda-feira, ela acumulava alta de quase 7 por cento em julho.
"O mercado estava um pouco otimista demais. Estava subindo muito rápido, em uma velocidade que obviamente não dava para sustentar por muito tempo", disse Jacopo Valentino, diretor de renda variável da BNP Asset Management.
"Mas nada muda no cenário das empresas. Tem que ficar de olho, quando chegar um preço razoável, esquecer um pouco do sentimento de curto prazo, e voltar a comprar", complementou, sem descartar, no entanto, que a bolsa brasileira passe por um pouco mais de ajustes.
As blue chips Companhia Vale do Rio Doce e Petrobras perderam 3,72 por cento e 4,63 por cento, respectivamente, e o volume financeiro da Bovespa ficou em 6 bilhões de reais ---bem acima da média diária do ano, de 4,1 bilhões de reais.
"O momento é de observação para o gestor. Não mudamos ainda o nosso cenário de 'inércia positiva' para o mercado brasileiro até o final de 2007, (mas)... a melhor opção neste momento é a cautela", afirmou a Modal Asset Management em relatório.
O dia foi agitado desde a abertura. Logo nos primeiros 15 minutos, a bolsa já caía mais de 3 por cento, com notícias sobre um hegde fund da Austrália que suspendeu resgates para evitar uma saída em massa de investidores, aumentando a preocupação com o mercado de crédito e o setor imobiliário nos Estados Unidos.
O temor principal de investidores é que o mercado esteja deixarndo de ter o ambiente de forte liquidez global que experimenta há meses
Chile aprova software livre na AP
parlamento chileno aprovou por maioria uma proposta de implementação de software livre na Administração Pública. Segundo o site Directorio del Estado a proposta foi apresentada pelo deputado Roberto Sepúlveda, da Comissão de Ciência e Tecnologia, que defende que esta medida traz «inúmeras vantagens em relação a softwares proprietários», nomeadamente a nível de custos. O responsável pela proposta afirmou em comunicado que «considerando que no nosso país o investimento em desenvolvimento científico é ínfimo, a utilização do sistema Linux dá-nos ferramentas computacionais poderosas, praticamente a custo zero». «Todas as vantagens do sistema Linux levam-nos a concluir que se a iniciativa do software livre se difundir no nosso país, partindo do próprio governo, alcançaremos em pouco tempo a verdadeira alfabetização digital, a baixo custo e ao alcance de todos os chilenos», sublinhou o parlamentar.

Servidores punidos pela CGU chegam a 1,4 mil em 4 anos

Balanço feito pela CGU (Controladoria Geral da União) revela que nos quatro últimos anos foram demitidos 1.348 servidores públicos de carreira ou em cargo comissionado. O número representa um total de 4,1 demissões a cada cinco dias -em trajetória ascendente.Se somadas as aposentadorias cassadas, chega a 1.431 o total de servidores punidos com as sanções que a CGU considera as mais drásticas.Conforme o balanço, em 35% dos casos de demissões ou da cassação de aposentadorias, a irregularidade é o servidor usar do cargo para obter vantagem para si ou para um terceiro.Pagamento de propina fica em último lugar, com 6,5% dos casos. Essa ocorrência, no entanto, aumentou de 4,20%, para 5,35% em 2005 e está em 8,54% neste ano.Para o ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, o incremento nos números se deve principalmente à criação, em 2005, de uma corregedoria para cada ministério. "Esse sistema já começou a mudar a cultura de impunidade na administração. Hoje, o Executivo não se limita a culpar o Judiciário pela impunidade. Ao contrário, temos aplicado as penalidades que a lei permite à própria administração, como as demissões e cassação de aposentadorias."Desde sua criação, em 2003, a CGU busca ampliar os mecanismos de punição em caráter administrativo, que são, no mínimo, bem mais rápidos que os decorrentes de decisão judicial. A proporção média de tramitação é de um contra dez anos.Segundo o procurador José Alfredo de Paula Silva, que integra a equipe da Procuradoria Geral da República, os processos penais por meio dos quais o servidor público que, por exemplo, frauda licitações em troca de pagamento de propina, acabam fulminados pela prescrição por conta dos sucessivos recursos em meio aos trâmites do Judiciário. "Em contrapartida, a administração pública, que observa o devido processo legal e a ampla defesa, é a previsão mais efetiva e célere de que dispomos nos nosso ordenamento", afirma José Alfredo.Ministro e procurador concordam que o advogado de defesa do servidor é quem faz a diferença. "As leis processuais no Brasil admitem excrescências medievais. Um bom advogado não deixa um processo terminar em menos de vinte anos. E os corruptos podem pagar os melhores escritórios do país. Essa é a verdade. O resto é cinismo", diz Hage.O número de demitidos inclui, por exemplo, o ex-servidor dos Correios Maurício Marinho, flagrado em 2005 recebendo R$ 3.000 em propina de um falso empresário. Marinho foi alvo de processo administrativo. Demitido, ele trabalha em uma empresa de consultoria, em Brasília, e tenta voltar ao serviço público por meio de recurso à Justiça do Trabalho.Outra demitida foi Maria da Penha Lino, indicada para um cargo em comissão como assessora do Ministério da Saúde. Em maio de 2006, ela foi presa sob a acusação de favorecer a máfia dos sanguessugas. Na ocasião, foi exonerada.Depois de transcorrido processo administrativo, ela foi "destituída", termo para representar a demissão dos servidores que não integram os quadros. Ao mesmo tempo significa que eles estão proibidos de contratar com a administração pública por cinco anos.Dos cerca de 505 mil servidores públicos federais, 23.253 mil (4,5%) respondem a processo administrativo disciplinar por suspeita de praticar irregularidades.O presidente da Confederação dos Servidores Públicos Federais, Josemilton Costa, defende as sanções, desde que decorrentes do devido processo legal e sem viés político.